sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A voz do meu silêncio...

Você já reparou como o silêncio grita mais alto que uma criança fazendo birra?

Agente escuta tantas musicas nesses dias não é 
verdade; ou então nem conseguimos escutar de tanto os pensamentos fofocarem; pedindo atenção como foca equilibrista.
Ai, de repente, escutamos um zumbido de abelha no ouvido, mas depois de abanar as mãos vemos que não temos tanto mel assim; estamos escutando a voz de Deus.
Desenhamos nas nuvens gatos e cachorros, anjos e joaninhas; desenhamos pensamentos, sonhos de um silêncio que parece nunca terminar.

Olho no relógio e só se passaram 10 minutos.
Quantas horas tem o tempo e quanto do tempo às horas tem?
Então resolvo ir cuidar das flores. Conversar com as plantas; quem sabe junto delas fazer a planta da nossa casa bem engraçada, mas cheia de amor.

Já se perguntou quem é o agente de viagens daquela sacola de supermercado que vive voando na rua para lá e para cá?
Será que o relógio do sol é de bateria ou de corda? Como ele sabe se é hora de acordar, dormir e trabalhar?

Eu aqui falando sem parar e esse silêncio que não acaba. Já ate ouvi o som do mar que tanto sonho em escutar do seu lado; enchendo os dedos de areia, as mãos de calor e você de beijos.
Do nada me pego rindo sem parar; aquelas risadas de fazer xixi na calça.
Acho que estou enlouquecendo; ou me aquecendo; no seu coração em mim, nas lembranças do seu sorriso.


Feliz sou eu, feliz é você. Que seja a felicidade acima de tudo.
Essas palavras que o silêncio me provoca dizer não serão ditas novamente: Eu amo você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário